I wish I were a Warhol silk screen hanging on the wall. Or little Joe or maybe Lou. I'd love to be them all. All New York's broken hearts and secrets would be mine. I'd put you on a movie reel, and that would be just fine. Ian Curtis
26.6.08

Sou uma pessoa de rock. Quero com isto dizer que a música que oiço predominantemente é rock. Seja indie, punk, hard, tanto me faz desde que tenha, em regra porque abro excepções obviamente, uma guitarra, um baixo, uma bateria e fico contente.
Por outro lado não sou lá muito fã de rock mais calmo ou meloso, a roçar o pop. Para isso ouvia pop. E há-o bem bom. Mas lá está, prefiro o pop rock.
Bem, tudo isto para dizer que oiço rock, mas que por isso mesmo um dos meus maiores gostos é ir a concertos. Gosto. Não só pela música, se bem que essa é a condição essencial porque lá vou, mas também por tudo aquilo que "recheia" um bom concerto. E gosto particularmente de ir a concertos de bandas portuguesas que ou têm somente um EP no bucho ou um CD recente. E a razão é simples: dão o litro.
Mas tudo isto, repito-me, para destacar uma música de uma banda, que ao início desdenhava e que agora me converti, que tem uma música que acho genial. Tudo aquilo que uma boa faixa de rock moderno deve ter: instrumentação, para além dos instrumentos que enumerei em cima, arranjos extraordinários, é quase dançável, eu sei lá. É bom e chega.
Segue em baixo:



Allways a plazer

P.S. gostaria de ter colocado o oficial mas não consegui
link do post Eu e o meu Ego, às 23:56  comentar


Não descansei enquanto não tive o meu. E tenho de agradecer a quem mo ofereceu. Foi na verdade uma boa surpresa.
Na realidade o meu fanatismo por este objecto representa várias coisas. É certo que quando era miúdo tive um sonny. E, talvez, o iPod não represente mais que a evolução daquele.
Mas voltando. É quase unanimemente reconhecido o fascínio que a grande maioria das pessoas tem por tecnologia. Pois é, mas eu nunca tive. Até ver este objecto.
Com ele passei a olhar para os gadgets com uns outros olhos, até revistas da especialidade folheio. Mas não há nenhum que bata este pequeno objecto. A companhia que faz, a possibilidade de estar ao alcance de um qualquer ouvido a música que queremos quando queremos. O Vício é tão grande que no trabalho não oiço rádio (tenho esse privilégio) nem oiço músicas no computador. Ligo o meu iPod e fico deliciado a ouvir enquanto faço o que tenho a fazer.

Allways a plazer
link do post Eu e o meu Ego, às 15:12  comentar

Ontem tive insónias.
Quem já as teve sabe o quanto são chatas, aborrecidas, enervantes e tudo mais alguma coisa que nos lembremos. Mas quem já as teve sabe também o quanto nos podem, assim por vezes penso, ajudar a mudar alguma coisa e tomar daquelas decisões ou repensar uma série de coisas.
Pois foi para isso que ontem me deu. Não necessariamente apenas e exclusivamente devido às insónias. Passo a explicar.
Não consegui dormir, rebolei e rebolei na cama até que desisti. Levantei-me e liguei o portátil. As páginas tantas fui parar a uma página que falava sobre Karma e os efeitos que isso tem na vida das pessoas blá blaá blá.
Ora não sou muito de acreditar nessas coisas, mas naquele momento decidi mudar umas quantas coisas e tentar ter uma atitude mais positiva e livrar-me da “tretalhada” toda que uma pessoa carrega as costas.
A partir de HOJE vou ser uma pessoa sem “espinhas”, vou ser um gajo alegre e bem disposto.
Como banda sonora para ilustrar este meu lado, que vamos lá ver quanto tempo dura, decidi ilustrar com a música que segue em baixo.

P.S. a letra pode não ter nada a ver com a coisa, mas acho que é uma boa música e trás um happy feeling de aproveitar o momento.



Allways a plazer
link do post Eu e o meu Ego, às 14:56  comentar

 
Junho 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

23
25
27
28

29
30


subscrever feeds
blogs SAPO